PABX em nuvem: 7 passos que você deve seguir antes de migrar

PABX em nuvem: 7 passos que você deve seguir antes de migrar


O sistema de PABX em nuvem vem ganhando cada vez mais destaque no mercado corporativo. No entanto, uma dúvida ainda segue bastante comum entre aqueles que pensam em adotar o sistema: como preparar a empresa para a migração?

 width=

A verdade é que a resposta para essa pergunta nem sempre é tão simples, uma vez que há uma série de passos importantes que devem ser seguidos antes e durante o processo de migração.

Na TW Solutions, no entanto, as soluções oferecidas visam sempre ir ao encontro do que é o perfil de cada cliente, o que contribui com a preparação para esse processo de mudança.

Com o objetivo de facilitar o entendimento em relação ao assunto, preparamos de antemão uma espécie de guia onde é possível entender cada um desses passos para aderir à ideia do PABX em nuvem com maior tranquilidade. Vamos lá.

7 passos que você deve seguir antes de migrar para o PABX em nuvem

1. Certificar-se da qualidade da internet para o PABX em nuvem

Considerando que o sistema de PABX em nuvem é baseado na tecnologia VoIP, é de suma importância que a internet seja de qualidade, afinal, o bom funcionamento depende disso.

Felizmente, na atualidade é possível contratar uma internet rápida na maior parte das regiões do Brasil, graças principalmente à expansão da tecnologia via fibra ótica.

2. Configuração antes da operação

Uma boa experiência no atendimento ao cliente por meio de um PABX em nuvem passa pela correta configuração do sistema. Isso significa que essa configuração deve ser concluída por completo antes do início das operações do novo sistema.

A lista de detalhes que devem ser ajustados nessa etapa inclui os direcionamentos corretos dos ramais para onde as chamadas serão encaminhadas, as músicas de espera, mensagens gravadas e até eventuais músicas de fundo.

3. Verificar a compatibilidade do sistema telefônico

Antes de migrar para o PABX em nuvem, também é preciso garantir que os equipamentos telefônicos possuem suporte ao VoIP, que é a tecnologia por trás do sistema.

Telefones comuns podem ser adaptados com o uso de ATAs (Adaptadores para Telefones Analógicos). Também existem os telefones IP, que funcionam somente com a telefonia VoIP.

Quem quer economizar ainda mais pode apostar nos softphones, aplicativos que funcionam em smartphones, tablets, computadores e notebooks.

 width=

4. Aproveitar a mobilidade

A mobilidade é uma das grandes vantagens do PABX em nuvem. Por isso mesmo, antes da migração, é importante que a empresa considere como pode se valer disso para melhorar seus resultados, seja com funcionários trabalhando remotamente em laptops ou smarphones, por exemplo.

5. Considerar os componentes de rede

Manter os componentes de rede atualizados é mais um passo importante para um bom serviço de PABX em nuvem. A qualidade das chamadas VoIP também pode ser atribuída a isso.

6. Garantir que os funcionários estão aptos a operar o PABX em nuvem

A eficiência no uso do PABX em nuvem também depende de uma boa equipe de operadores do sistema.

De nada adianta uma solução inovadora e capaz de cortar gastos se os colaboradores não sabem como utilizá-la. Durante o processo de migração, portanto, um período de treinamento para os funcionários pode ser bem-vindo.

A boa notícia é que o PABX em nuvem da TW Solutions é muito simples de utilizar.

Leia também:

7. Contar com a parceria de uma empresa com experiência na área

Por último, mas não menos importante, a migração para um PABX em nuvem exige a contratação de uma empresa séria e competente, com experiência na área e capacidade para orientar seus clientes de forma simples e eficaz, como faz a TW Solutions.

A empresa é uma das referências do mercado e oferece inclusive um serviço de consultoria gratuita a quem pretende migrar para o sistema VoIP de PABX em nuvem. Clique aqui para conhecer nossas soluções e migre hoje mesmo!

Site TW Solutions

2018-11-23T18:56:11+00:00sexta-feira, 8 junho 2018|PABX Virtual|0 Comentários

Sobre o Autor:

Trabalha com sites, SEO e produção de conteúdo para a web. Em 2011 criou a Pandartt e hoje assume a direção da agência. Paralelamente, tem outros quatro projetos: Mapa dos Bichos, Viva Com Felicidade, O Nexxus e BlogGeek.

Deixar Um Comentário